Escrituras no Pergaminho.

Contos, reflexões e humor sobre a vida aos 25 anos. Críticas literárias, cinema, homens e filosofia em geral





Archives:





E-Mail Me

Monday, January 28, 2002

 
Calor da Noite.
Sabe quando está quente demais e você já cansou de virar na cama para todos os lados?
Bom, estou assim hoje. Minha cama é pequena, mas hoje parece muito grande, com muitos espaços para meu corpo se revirar procurando abrigo.
Nestas horas, aquele sonho romântico invade os pensamentos.
Eu só consigo pensar em olhos azuis brilhantes e gelo...
Entendeu aonde quero chegar?
Mas esses olhos poderiam ser azuis, verdes ou negros. Poderiam ser castanhos e perspicazes. Negros e profundos. Azuis e brilhantes. Verde e pertubadores. Qualquer cor que num piscar mostrasse a nobreza da alma, escondida num corpo que inspirasse desejos e sonhos.
Mas a noite vai avançando e eu já desisti de dormir, fantasiar ou da cama desfeita, com tantos giros mortais durante a madrugada.
Liguei meu cyberfriend e choro as pitangas, morangos, ou qualquer outra fruta da sua preferência.
Ninguém é tão sozinho, que não possa desfrutar da própria companhia.
Mas nesta noite tão quente, gelo escorrendo através da pele e calor correndo nas veias, seria tão mais excitante e perfeito!
E estou tão trovadora hoje!
Até breve...

posted by Ally at 9:02 PM

 
Largue a pena, a tinta e o pergaminho. Apanhe o teclado e os pixels brilhantes te levarão a um milhão de possibilidades, inclusive a de voltar no passado. Escrever um diário on-line, esperando que assim como uma velha garrafa jogada ao mar, chegue na orla marítima de um outro coração ou mente. Tente, crie e solte-se. Este é meu espaço e nele faço uma promessa:
"Ser honesta e louca. Sem me preocupar com fronteiras para minha imaginação ou meus sentimentos."
"Ser criatura e criadora. Sem obedecer a ninguém, exceto eu mesma."
"Ser amiga e confidente. De você, que caiu aqui inesperadamente. De mim mesma, que planejou isso, meticulosamente"
"Ser absurda e incoerente. Sem medo do ridículo ou da queda"
"Ser tudo e nada. Ser uma canção do Raul ou do Legião. Ser apenas uma nota simples, no primeiro momento dos violinos".
Até breve, querido pergaminho!


posted by Ally at 8:48 PM

 

Powered By Blogger TM